sábado, 27 de outubro de 2007

Muitos, mas nem todos

Ocorre este domingo em Roma, na Praça de São Pedro, a maior beatificação da história: 498 mártires do século XX espanhol. Será presidida pelo cardeal José Saraiva Martins e concelebrada por mais de um milhar de sacerdotes espanhóis. Na assembleia estarão presentes mais de 2.500 familiares dos mártires.
Não há contudo consenso. Há católicos que as consideram inoportunas porque os bispos, ao tempo, abençoaram a Guerra Civil como uma cruzada, e agora esquecem-se as vítimas republicanas.
Dos 12692 possíveis mártires católicos do século XX, considera-se que 10000 sejam espanhóis. Por essa razão outra corrente católica considera que os mártires beatificados neste domingo são muitos, mas não são todos. Eu sou desses. Ao número em falta pelo menos o nome do primeiro Carmelita Descalço português do século XX, à data conventual do Carmo de Toledo: Frei David da Virgem do Carmo.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Carminhada - Avessadas a Rosém - 3NOV2007

"ESPÍRITO SANTO, SOPRO DE VIDA!"

Vem, põe-te a carminho! Vem sentir o "sopro" do Espírito da Vida, aquele que te fortalece e te torna audaz para anunciares sem medo: Cristo Ressuscitou!
Aceita o convite que Jesus te faz e torna-te seu discípulo. Com o Espírito que Dele recebes, poderás enfrentar com coragem as contrariedades que surgem em teu carminhar!


Aspectos a ter em atenção:
- As carminhadas são abertas a todos os jovens;
- Início às 9h00, no Parque de merendas do Santuário do Menino Jesus de Praga em Avessadas – Marco de Canavezes;
- A caminhada tem 11 km (6+5);
- Eucaristia às 11h30;
- O almoço será partilhado, devendo cada participante levar de casa;
- Procura levar calçado confortável e já usado; roupa conveniente (um impermeável…);
- Haverá um carro vassoura (podem lá deixar ficar as mochilas com a comida), mas a maior honra dos condutores de carros vassoura é chegar ao fim vazios;
- Carminha ligeiro de equipagem;
- Nem tudo é necessário para carminhar…;
- A carminhada termina às 17h00 no Santuário do Menino Jesus de Praga;
- Quem participou já em outras Carminhadas já tem a faixa “JOVENS LEIGOS CARMELITAS”. Devem levá-la.

CONFIRMAÇÃO:
A confirmação de participação na Carminhada deverá ser efectuada até ao dia 28 de Outubro para:
Filipe Madureira madureira_filipe@hotmail.com ● Telm: 916 010 908
Vera Pinto
verapinto@portugalmail.pt ● Telm: 968 832 236
Carmo Jovem
carmojovem@gmail.com


Para ver um pouco mais

Para os que estiverem interessados em ver com um pouco mais de pormenor o que fiz em Moçambique (na cidade de Pemba) como leigo voluntário missionário (onde estive presente através dos Leigos Boa Nova-Sociedade Missionária da Boa Nova em colaboração com a Ordem dos Carmelitas Descalços), pode consultar na Internet http://leigosboanova.blogs.sapo.pt/15878.html (depois vê onde diz "Leigos Boa Nova no 70x7" e clica no endereço que lá tem para ver o vídeo). Para além disso, também pode consultar http://leigos.boanova.pt/pemb2004.htm, onde aborda (de forma genérica) o trabalho realizado.
Nuno Óscar Vilela Ferreira

Um Mundo mais igualitário

Ir para missão fez-me sair da «acomodação» a que estava habituado, partilhei novas experiências pessoais com outro povo e de uma forma que Deus me “atribuiu” de mostrar um caminho diferente de viver a Fé com que fui “escolhido” pelo baptismo. O coração falou mais alto, com a natural vontade de ajudar os outros, dar e repartir aquilo que de melhor tinha. Agora percebo os testemunhos daqueles que já viveram uma experiência de voluntariado laical missionário e que dizem (o que é inteiramente verdade) de que quando fazemos um “balanço” do que se fez, nos apercebemos de que se recebeu muito mais do que se deu…Sente-se «algo» que é inexplicável por palavras, sobretudo quando se vive o momento de regressar a Portugal… É nesta altura que se deve «colocar as coisas» nas mãos de Deus e ele se encarregará de ajudar a dar continuidade às sementes que por lá deixamos… “Ser Cristo é procurar-se Nele; a missão é a causa da realização plena que se encontra Nele”. Numa mensagem da Santa Sé sobre as Missões, pode ler-se que: «A missão brota da própria identidade de Jesus Cristo, todos somos chamados a missão.» É sempre difícil mencionar quais os motivos que me levaram a querer partir mas, talvez como qualquer pessoa seja levada a pensar (e eu não sou diferente), um dos factores tenha sido tentar dar o meu modesto contributo para poder «ver» um Mundo mais igualitário, procurando «mudar algo – ainda que muito pouco –» e outro talvez tenha sido fazer com que as pessoas com que me encontrei se possam sentir um pouco «mais realizadas/felizes» nas suas vidas. Se verificarmos com atenção o mundo que nos rodeia, todo o cristão é chamado a trabalhar na e com a Igreja para procurar levar a Boa Nova a todos os cantos do mundo, levando também o amor de Cristo a toda a gente. Em concreto no projecto, procurei contribuir para a melhoria da qualidade de ensino leccionado no Colégio D. Bosco (nas disciplinas de Inglês e Informática) e ajudei em actividades relacionadas com a dinamização social das comunidades (que abrangeram crianças, jovens, adultos, idosos…). Acima de tudo, o testemunho que procurei levar em todas as acções que efectuei foram suportadas pela minha fé em Deus e Jesus Cristo, que no fundo fazem mover a vida de qualquer cristão.
A boa vontade, esforço e dedicação que coloquei nas tarefas desempenhadas talvez tenha trazido «algo» de positivo à comunidade com que trabalhei, contribuindo assim para que esta tenha sido, para mim, uma «experiência» de vida positiva e me ajudado no meu desenvolvimento pessoal/humano.
Termino este testemunho (já longo…) com uma frase/lema que me foi transmitida pelo formador (hoje, já «irmão», uma vez que tivemos a feliz oportunidade de viver algumas experiências em comum), Jorge Carvalhais, e que penso que qualquer leigo (nomeadamente aqueles que pretendem integrar um projecto laical de voluntariado missionário) deve ter presente: «uma cabeça para pensar, duas mãos para servir e um coração para amar». Bem vistas as coisas, se tivermos reunidos estes três elementos, a missão pode, de facto, tornar-se certamente «mais fácil»…
Muito obrigado a todos quanto «entraram» e «colaboraram» dentro deste meu processo de como Leigo Voluntário Missionário agradecimento mais especial vai inteirinho para a minha mãe Maria Deolinda Pereira Vilela, o verdadeiro «pilar» da minha fé e vivência cristã!

Nuno Óscar Vilela Ferreira

Leigo Missionário Carmelita em Pemba, Moçambique

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Santa Teresa de Jesus

[Nasceu em Ávila, a 28 de Março de 1515. Aos vinte anos, ingressou no Carmelo de Ávila. Espanhola, de família nobre, bela e inteligente, foi uma criatura que lutou contra as suas contradições internas, contra as mentiras e hipocrisias de uma vida espiritual vazia.

Santa Teresa ocupa um lugar especial dentro da mística cristã; é considerada um dos grandes mestres espirituais que a história da Igreja já conheceu. Entretanto, ela não pode ser esquecida como reformadora do Carmelo, como aquela que conseguiu devolver à Ordem Carmelita o seu primitivo vigor espiritual. Tinha como conselheiro espiritual São João da Cruz.

É chamada Teresa, a Grande, por sua grandeza de mulher. Teresa sem a graça de Deus é uma pobre mulher. Com a graça de Deus, uma graça. Em 1970, o papa Paulo VI, proclamou-a “Doutora da Igreja” pela profunda mística e espiritualidade. Foi uma mulher a quem se reconheceu mérito dos escritos doutrinários que deixou. Muitas das suas obras continuam a ser lidas e a produzir abundantes frutos espirituais: “O caminho da perfeição”, “Pensamentos sobre o amor de Deus”, “Castelo interior”. Morreu em 1582.]


Que Santa Teresa de Jesus continue a inspirar nos jovens leigos carmelitas abertura total ao amor divino, tal como ela o viveu. Que o itinerário de fé deixado por ela nos auxilie nos nossos carminhos, projectos e procuras... «É uma grande virtude considerar todos melhores que nós.»

domingo, 14 de outubro de 2007

Santa Teresa de Jesus

video

Novena de Santa Teresa (10)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:
Oração do terceiro dia do Tríduo

Santa Madre Teresa,
que tivestes o coração ferido pela flecha do Amor
que vos elevou ao mais alto grau de amor,
e que bebestes da água viva oferecida por Jesus,
levai-nos a beber a essa Fonte,
a fim de que, também nós, saciados desta água,
possamos subir ao mais alto grau de amor
que nos levará à plena união com Deus.

Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

sábado, 13 de outubro de 2007

Santa Teresa de Jesus

video

90º Aniversário das Aparições de Fátima




Expressar o que se sente, quando se partilha o silêncio com um aglomerado de gente é difícil de explicar. Vive-se! No entanto, jamais podemos calar o que vemos, ouvimos e sentimos. São presenças fortes.

A celebração da Dedicação da Igreja da Santíssima Trindade, iniciou com a entrada de Maria a visitar a sua nova casa, seu filho de braços abertos a esperava. À entrada na nova basílica balbuciaram-se palavras: «O que se sente, arrepia…»

Arrepia, abala e convida-nos a não deixarmos adormecer a fé, compromete-nos. «Fátima sinal de esperança para a Humanidade», faz-nos percorrer kms, permanece intrinsecamente a alimentar cada um de nós, pois somos filhos de Maria. E este nome terno, pequeno e humilde, encerra em si a força protectora que nos abraça e revitaliza.

Que Maria Mãe da Humanidade, nos continue a acolher e a proteger no seu manto.
«Assim, sob a maternal protecção do vosso Imaculado Coração, seremos um só povo em Cristo, conquista da Sua morte e testemunhas da Sua ressurreição, e por Ele levados ao Pai para glória da Santíssima Trindade, a quem adoramos, louvamos e bendizemos. Assim seja.»

Novena de Santa Teresa (9)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:
Oração do segundo dia do Tríduo

Santa Madre Teresa,
vós que sois Mestra de Oração e nos ensinastes que orar é
"Um trato de amizade com Aquele que sabemos que nos ama".
Ensinai-nos a constância na oração,
a fim de que nesta amizade com Deus
possamos nos unir sempre mais a Ele,
para que, o amor de Deus que enche os nossos corações
transborde para o mundo.
Amen.


Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.


sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Novena de Santa Teresa (8)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:
Oração do primeiro dia do Tríduo

Santa Reformadora do Carmo,
Doutora Mística da Igreja,
vós que merecestes este nome pela alta sabedoria
que o Senhor vos infundiu para proveito dos fiéis,
fazei que a celestial doutrina que nos deste
nos vossos admiráveis livros
ilumine o nosso entendimento
afim de que possamos compreender e seguir as verdadeiras máximas
que nos conduzem ao conhecimento de Deus e de nós mesmos.
E que este conhecimento nos firme na humildade
que vós tanto amastes,
para que à vossa imitação,
possamos fazer de nossas vidas um hino de louvor a Deus.
Amen.
Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

Novena de Santa Teresa (7)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:



Ladainha de Santa Teresa de Jesus


Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus, Pai do Céu, tende piedade de nós.
Deus, Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Santa Maria, Rogai por nós.
Santa Maria, Mãe de Deus,
Santa Maria, Rainha e Formosura do Carmo,
São José,
São João da Cruz,
São Rafael Kalinowski,
Santa Teresa Margarida do Coração de Jesus,
Santa Teresa Benedita da Cruz,
Santa Teresa de Jesus dos Andes,
Santa Maravilhas de Jesus,

Santa Madre Teresa de Jesus, rogai por nós!
Grande Doutora da Igreja, rogai por nós!
Mãe do Carmo Descalço, intercedei por nós!
Modelo e Mãe dos Descalços, rogai por nós!
Mestra da Espiritualidade, rogai por nós!
Mestra da Vida de Oração, intercedei por nós!
Modelo de santidade, rogai por nós!
Santa da Contemplação, rogai por nós!
Santa do Amor ao Deus Humanado, rogai por nós!
Verdadeira Filha da Igreja, intercedei por nós!
Glória da cidade de Ávila, rogai por nós!
Martelo dos Hereges, rogai por nós!
Virgem prudente e fiel ao Esposo, rogai por nós!
Esposa Espiritual de Cristo, intercedei por nós!
Santa da Altíssima Oração, rogai por nós!
Mártir por desejo, rogai por nós!
Coração trespassado pelo Amor, rogai por nós!
Nossa Mãe e protectora no Céu, intercedei por nós!

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Senhor!
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Senhor!
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós!

- Rogai por nós, Santa Madre Teresa de Jesus!
- Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

ORAÇÃO

Ó Deus, que pelo Espírito Santo fizestes surgir Santa Teresa de Jesus, nossa mãe, para recordar à Igreja o caminho da perfeição, permiti que encontremos sempre alimento em sua doutrina celeste e sentir em nós o desejo da verdadeira santidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.


Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.


V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

ASSIM ERA A IRMÃ LÚCIA…


No XIV Horeb, sob o tema “Vamos para a Escola com a Irmã Lúcia”, demos os primeiros passos rumo ao conhecimento da sua mensagem e missão na Terra. Foi pela voz da sua “médica do corpo”, a Dra. Branca Maria Paúl que, sentados nos bancos da Domus Carmeli, como verdadeiros alunos, aprendemos uma das mais importantes lições das nossas vidas… Antes de qualquer comentário recebemos com orgulho uma mensagem da irmã Prioresa do Carmelo de Santa Teresa, da Irmã Lúcia, em Coimbra… era a Irmã Celina de Jesus Crucificado que nos quis cumprimentar por termos entrado naquela escola! Mas a ansiedade era grande… e esperávamos inquietos que a Dra. Branca continuasse a frase: Assim era a Irmã Lúcia…
…”Alegre, jovem, humilde, obediente…!” (Na voz da Doutora Branca).
E foi com estas palavras que nos envolvemos no discurso de quem conviveu de perto com a Pastorinha da Cova da Iria… a Pastorinha que “nunca foi derrotista (…) pois guardava a promessa de Nossa Senhora: no fim o meu Imaculado Coração triunfará!”
A grande preocupação da Irmã Lúcia era a difusão da Mensagem de Fátima, qual seria a vontade de Deus… sendo que a foi entendendo apenas com a maturidade do passar dos anos! Anos que foi vivendo quase escondida dos olhos do mundo, mas fortemente presente na fé de quem bebe da experiência de Deus e do mistério que se vive em Fátima!
Viveu como as suas Irmãs Carmelitas, e, de forma alguma queria ser tratada de modo especial, uma vez que realizava também todas as tarefas no Carmelo. E era esta humildade, a sua alegria de viver e o desapego das coisas do mundo que a Doutora Branca mais evidenciou através das histórias que foi contando, e através das quais nos fomos sentindo cada vez mais envolvidos na vida e no sorriso da Irmã Lúcia.
“Eu fui médica do seu corpo, e ela, médica da minha alma”… foi através desta frase que compreendemos melhor o legado de Lúcia e a forma como lidava com as pessoas ao seu redor!
Essa forma simples de estar não era mais do que a sua postura humilde e disponível para os desígnios de Deus, era o seu verdadeiro ser a fonte cativante do amor sentido daqueles que tiveram oportunidade de lidar com Lúcia!
Aprendemos tanto em tão pouco tempo… sentimos, ao olhar para a fotografia de Lúcia, que nos acompanhou durante todo o Horeb, que aquela mulher, inicialmente longe, talvez intocável, estava depois bem mais perto… “aqui entre nós” como afirmou a Doutora Branca.
E é graças a ela que saímos de Fátima mais fortalecidos, mais próximos de Deus e mais corajosos! Saímos com a sensação que escolhemos um caminho seguro, um caminho traçado pelo Pai… limpo por vassourinhas como a Irmã Lúcia… sim, porque se considerava “uma vassoura reles que Deus usava para limpar”!
Os ensinamentos foram muitos, mas sobretudo o de seguir esse caminho sem medo de errar, porque “não faz mal, assim, errar ajuda-nos a manter a humildade”.
Obrigada Doutora Branca por ter partilhado estas e tantas outras histórias connosco, por nos ter mostrado um lado da Irmã Lúcia que até então não imaginávamos ser tão belo, simples, tranquilo na sua entrega total à Igreja…
Guardamos todos os momentos no coração... e como alguém relembrou “no coração da Igreja eu serei o amor”.

Alexandra Sh’ma Pinto

Novena de Santa Teresa (6)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:
Bendito sejais para sempre

Bendito sejais para sempre,
porque, mesmo quando Vos deixei,
Vós não vos afastastes de mim por inteiro.
Vós me destes sempre a mão
para que eu me voltasse a levantar;

muitas vezes, Senhor, eu não a queria,
nem procurava entender porque tantas vezes
me chamáveis de novo.


(Santa Teresa de Jesus, in Livro da Vida 6:9)

Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

O Carminhante de Jerusalém!

Olá amigos!

Perguntam vocês:
- O que é que esta foto está a fazer no blog do Carmo Jovem?
- Quem é o senhor que está ao lado do Tiago e o porquê de estarem os dois a segurar na faixa dos Jovens leigos em movimento?
Pois bem, vou satisfazer a vossa curiosidade.
Esta foto tem uma história…
Tudo começou, quando folheava um dos jornais locais cá da minha bela cidade (Braga) e, ao virar da página, leio o seguinte titulo: “De Braga a Jerusalém a pé, passando por Roma”. Como Carminhante e adepto de caminhadas de Fé, esta frase desperta o meu interesse e começo a ler a notícia, em jeito de entrevista, que se refere a este homem, de quem eu desconhecia a história, e que se propunha a fazer o caminho entre Braga e Jerusalém. Uma peculiar peregrinação aos três maiores santuários da Igreja Católica (Santiago de Compostela, Roma e Jerusalém), percorrendo, a pé, perto de oito mil quilómetros, durante cerca de dez meses, atravessando treze países. Fui lendo e fui descobrindo quem é este homem. Este homem de quem vos falo é Amaro Franco, tem 36 anos e apesar de residir à já quatro anos em Braga, faz questão de sublinhar que é "de Viana do Castelo com muito orgulho”. Estuda Teologia, na Universidade Católica de Braga. Ninguém lhe impôs o percurso algo sinuoso que diz ter tido a sua vida - tem fé porque sim, ponto final. É peregrino em todo o sentido da palavra. Já perdeu a conta às vezes que cumpriu todos aqueles quilómetros até Santiago de Compostela (só num ano foi lá a pé cinco vezes), e em 2001, precisou de 126 dias para chegar com os mesmos pés a Roma, tornando-se romeiro. Se tudo correr como o previsto, em Julho de 2008 chega a Jerusalém e poderá dizer que é palmeiro, sendo o primeiro português a consegui-lo. Tudo isto entusiasmou-me, principalmente o facto deste homem estar intensamente ligado ao Caminho de Santiago, na altura ainda, como presidente da Associação Espaço Jacobeus - Associação Católica de Promoção da Tradicional Peregrinação Jacobeia e de Gestão do Caminho Português de Santiago, sedeada em braga e que eu até já tinha tido conhecimento, e desde 1999, como membro da “Archicofradia Universal del Apóstol Santiago”. Tudo isto me impressionava e despertava em mim muito interesse e curiosidade pelo facto de eu ser um grande entusiasta do Caminho de Santiago (que pretendo um dia realizar a pé... talvez em 2010 por ser um ano Jubilar) e por tudo o que lhe esteja relacionado. Porém o melhor estava para vir. Nas semanas que se seguiram os jornais, as rádios e até a televisão foram divulgando a sua aventura e eu não podia perder nada (ainda hoje guardo recortes de jornais em casa), queria saber cada vez mais sobre este homem que me parecia ser único e especial. Certo dia, lembro-me de enviar um e-mail ao Frei João e ao pessoal do Carmo Jovem sobre a história deste homem, e não é o meu espanto quando me respondem que, em 2001, quando voltou da peregrinação a Roma, ele tinha entrado para a Ordem dos Padres Carmelitas Descalços. Amaro Franco diz que quando entrou para o carmelo, os seus pais não aprovaram a ideia. Mas ele precisava de fazer aquilo. Precisava porquê? "Na minha viagem a Roma reaprendi todo o catecismo. Fui baptizado outra vez, confirmei a minha fé. Percebi que sou um homem sortudo, porque vivo com Deus, porque Deus me ama". Como devem compreender o meu interesse sobre esta história, sobre esta viagem e sobretudo sobre esta pessoa aumentou e de que maneira. Esta noticia encheu-me de orgulho e se já antes tinha vontade de o conhecer pessoalmente, depois de saber que estava ligado aos Carmelitas Descalços, ainda mais.
Não podia faltar à partida, marcada para o dia 4 de Outubro, na Sé de Braga. Era a derradeira oportunidade de conhecer pessoalmente este homem, a quem chegaram a chamar de louco, e de lhe demonstrar o meu apoio e admiração. Antes, na noite anterior à partida, ainda tive tempo para escrever uma pequena mensagem no blog da peregrinação (amarofranco.wordpress.com). Visitem!
Na passada quinta-feira, dia 4 de Outubro, manhã cedinho lá estava eu na Catedral, a participar na missa de envio do Amaro Franco (que belas recordações me trouxeram aqueles momentos). A minha vontade era de pegar na mochila e partir com ele. No final da missa, aproximei-me e finalmente pude conhece-lo pessoalmente. Alguns dias antes, quando pensava em estar presente na sua partida, tinha na ideia oferecer-lhe uma faixa do Carmo Jovem, e assim o fiz. Ofereci-lhe a faixa dos Jovens Leigos em Movimento como forma de reconhecimento e de amizade, transmitindo-lhe, em nome dos Jovens Leigos Carmelitas, que todos nós o temos em pensamento e em oração. Foi um momento muito especial para mim e que ficou registado da forma que vedes. Ofereci-lhe ainda, um Escapulário de Nossa Senhora do Carmo que o irá acompanhar durante toda a viagem. Ele ficou surpreendido e até um pouco emocionado, mas prometeu-me que levaria com todo o gosto a nossa faixa, durante toda a peregrinação e que depois colocaria algumas fotos no blog, selando com um forte e caloroso abraço este compromisso.
Junto à porta principal da Sé de Braga, na esquina entre duas ruas, há uma seta amarela pintada no chão, essa seta marca o local de partida para os peregrinos do caminho de Santiago. Foi deste ponto que o Amaro Franco partiu com uma mochila às costas, um bordão na mão e um corpo cheio de Deus. Antes de virar a esquina, parou, voltou-se, acenou e partiu…
Ele leva-nos com ele, representados naquela faixa, e nós devemos tê-lo sempre presente nas nossas orações, para que tudo corra da melhor forma. Acredito que este acto não lhe foi indiferente, e que o marcou de uma forma especial.
A história continua, mas a partir deste momento, todos nós, Jovens Leigos Carmelitas, também fazemos parte dela.
Vamos acompanhar este homem que, no meu entender, é um dos nossos, pois como ele mo disse:
“ se um dia somos Carmelitas, somo-lo para toda a vida!
O caminho faz-se… Carminhando!
Cumprimentos carmelitanos.

Tiago Gonçalves

Braga

Novena de Santa Teresa (5)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:


Ó Santa Teresa de Jesus

Ó Santa Teresa de Jesus,
fazei-nos fiéis à oração da manhã e da noite
e a transformar em oração
o cumprimento de nossas tarefas de cada dia.
Que a oração seja para nós
a porta de nossa conversão e santificação
e a chave de ouro que nos abrirá a porta do Céu.
Amen.

- Santa Teresa de Jesus, rogai por nós!


Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e
contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência
.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

XIV HOREB - Notas Finais - Fátima - 28 a 30 Set 2007

Cerca do fim do Verão e num ano especialmente rico em mudanças na minha vida pessoal, fui (re)lembrada das datas do Horeb - Encontro dos Jovens Carmelitas. Era assim o convite que recebi: «Os jovens carmelitas não podem ficar parados. O Verão já quase passou. É preciso recomeçar a marcha. Estar parado não é a nossa marca. A próxima acção do Carmo Jovem é a celebração do XIV Horeb, em Fátima, na nova Domus Carmeli, nos dias 28, 29 e 30 de Setembro. Estamos todos convocados. Que ninguém fique em casa. Se és dos jovens Carmelitas da primeira hora, já sabes: podes vir. Se és dos que raramente se fazem presentes, já sabes: podes vir. Se és dos que nunca vieram, também sabes: podes vir» Senti um apelo que foi impossível recusar. Durante a viagem de ida sentia o nervoso que se sente quando se vai ver alguém, depois de muitos anos de ausências... Peguei no meu terço, na minha cruz do Carmo Jovem e pouco mais. (Coube tudo numa mochila pequena!) Quando chegamos à Domus Carmeli, em Fátima, fomos recebidos numa casa à imagem do Carmo: renovada, discreta, atenciosa, simples... mas muito grande. O grupo, ansioso pelas apresentações, era jovem... muito jovem e na inquieta maneira de ser jovem, proporcionou momentos de descontração. Ficou-me na memória a presença e o convívio de jovens carmelitas, uns ainda jovens e outros muito jovens. A motivação era igual. Porém, a garra dos mais novos serviu de motivação extra aos outros (mais velhos, mais cansados!). Os momentos de oração, desde o primeiro dia, estiveram marcadas pelas orações que bem cedo, ao colo das mães, todos aprendemos a rezar. Oração ao Pai e a Maria, nossa Mãe. Começámos o primeiro dia de Escola com uma manhã recheada de emoções. A presença da Dra. Branca Paúl, médica da Irmã Lúcia, deixou-nos um testemunho tocante e vibrante. Foi algo que nos tocou profundamente a todos, dos mais novos aos menos novos, porque nestas coisas aquilo que se sente, sente-se para lá do físico. O entusiasmo que nos assaltou foi tal, que nem a chuva nos demoveu, e, levados pela Irmã Lúcia, fomos (rezando a Via Sacra) fazer o seu caminho enquanto jovem, enquanto pastorinha e isso fez-nos aproximar ainda mais dela!

Como estávamos em Fátima esperávamos prolongar o nosso ser de peregrinos e rezar o terço com todos os outros peregrinos, junto da Capelinha das Aparições. Mas o tempo, o tempo invernio, frio e chuvoso não o permitiu. Por isso, lá o rezamos, longa e calmamente, à nossa maneira, na Capelinha da Domus Carmeli, junto a uma imagem do Imaculado Coração de Maria. Rezamos a oração que Nossa Senhora tanto pediu, recordando longas páginas de testemunhos da vida da Pastorinha. Foi uma vigília diferente, mas que a mim me ficará na memória pela força de quem ali estava... Pela comunhão com a Pastorinha... Pela união com Nossa Senhora... Aliás, remarco como momento forte do Carmo Jovem, a ligação entre os alunos repetentes e os recém-chegados à Escola do Carmo Jovem. Ali havia admiração mútua: Os mais novos, penso, por que ainda nos viam por ali; os mais velhos, por verem que começaram uma carminhada que ainda não parou e que sentimos não vai parar...
No Domingo, esse sentimento amplificou-se. A Eucaristia foi feita por nós e para nós: sentíamo-nos discípulos, filhos, amigos, alunos. O sentimento de união ficou ainda bem marcado na Homilia, também ela diferente. (Há sempre coisas diferentes a acontecer no Horeb!) Nela se falou do que se sente e do que se está disposto a fazer pelo Carmo. (Foi um quase compromisso!)
Fomos para o almoço com o sentimento de quase saudade e com alguma ansiedade: De tarde iríamos visitar o Memorial da Irmã Lúcia, recentemente inaugurado em memória da irmã (e Pastorinha) de todos nós.
Antes da partida recebemos na nossa sala de aula o Padre Provincial, Padre Pedro Ferreira, que nos congratulou pela carminhada, nos incentivou a continuar, nos lembrou que todos devemos passar pela Escola, que quem não passa fica mais pobre, mais desprotegido, sem instrumentos para caminhar a caminhada da vida. (E tem toda a razão!)
Saímos de Fátima com pena de já estarmos de saída, com pena de não termos visitado o túmulo dos Pastorinhos. (É a sexta vez que tal acontece!) Mas saímos a correr, para sermos recebidos na casa da memória da Irmã Lúcia, junto ao Carmelo de Santa Teresa. Ela receber-nos-ia e não havia tempo a perder. E depois, depois logo seria noite e depois manhã, dia de trabalhos e outras aulas. Não havia tempo a perder.
Enquanto esperávamos, ansiosos e inquietos, à entrada no pequeno edifício branco anexo ao Carmelo, não imaginávamos o tamanho da emoção que nos esperava: a nossa querida Irmã Lúcia estava ali a receber-nos com o nosso pin e um lenço do Carmo Jovem! Sim, são meros símbolos, símbolos sem importância, mas quer o gesto da Prioresa, Irmã Celina, quer o facto de vermos aquele singelo registo, ambos aproximavam a Irmã Lúcia a cada um de nós, e, mais que isso, ambos fizeram com que a sentíssemos definitivamente no meio de nós, como uma de nós, pequenina, pequenina gota no Oceano de amor. Pequenina e Mestra. E nós: pequeninos e discípulos!
Depois vimos, vimos tudo, abrimos os olhos e a alma e o coração. E vimos, e cantámos e rezámos. E saímos mais sossegados, mais Carmelitas.
As despedidas foram como sempe (há coisas que nunca mudam!), com rostos simultaneamente alegres e tristes!
Alegres pelo que, juntos, tínhamos vivido nesse fim de semana; tristes, porque rapidamente o Horeb chegara ao fim!
Alegres porque seguíamos orgulhosos da nossa prestação como alunos; tristes porque queríamos aprender mais.
Alegres porque gostámos de estar juntos (juntos somos mais fortes!); tristes porque teremos de esperar um ano para voltar a repetir o Horeb. Ah... e bem sabemos que os jovens gostam pouco de esperar!
Uma coisa é certa, passámos todos de ano e todos ficámos convocados para estar no próximo ano nas cadeiras da frente do XV HOREB.
Eu, de uma forma pessoal, devo acrescentar que apesar de ter sido apelidada de avó — Deus te valha, Frei João, Deus te valha! — senti-me rejuvenescida. Sim, no XIV Horeb a minha alma rejuvenesceu....
Senti alegria... Muita alegria ao ver que se continua a caminhar... Que se carminha porque se acredita, porque se sente... Senti muita alegria ao ver jovens tão jovens envolvidos no Carmo e com vontade de continuar a construir Carmo Jovem! Ah! Quem tem jovens assim não morre tão cedo!
Já lá vão 13 anos desde que conheci, me apaixonei e aprendi a amar esta forma de vida, de ser e estar que me ajudou em momentos difíceis, que me fez gozar ainda mais os momentos bons... Mas entre os melhores está o orgulho de ver um Movimento único, que nos faz estar sempre em Movimento. Juntos. (Mesmo quando estamos sozinhos. Isolados.)
Como velha que sou... Senti saudades de outros velhos: dos frades e dos (mais) velhos Jovens Carmelitas. (Faz tão bem voltar a beber daquela Fonte!) Além disso gostava de voltar a encontrar Santa Teresa de Jesus, São João da Cruz e até a mais jovem e tão rica Santa Teresinha do Menino Jesus. Far-me-ão esse favor? Please... Marcam-me um Horeb com eles?
Como velha que sou, sinto-me no direito de pedir aos mais novos que não desistam. Que construam o vosso próprio caminho: Um caminho que queiram carminhar... Um caminho que saiba bem carminhar... Um caminho em que terão dias de noite escura... Um caminho que sintam que fazem com Quem sabemos que nos ama!
Eu adorei voltar.

Alexandra Sh’ma Pinto

Novena de Santa Teresa (4)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:
Ó Senhor meu!

Ó meu Senhor,
como sois o amigo verdadeiro;
como sois poderoso!
Quando quereis podeis,
e nunca deixais de querer quem Vos quer!
Louvem-Vos todas as coisas, Senhor do mundo!
Feliz de quem puder percorrer todo o universo
para dizer quão fiel sois a Vossos amigos!
Todas as coisas faltam;
Vós, Senhor de todas elas, nunca faltais.
Pouco deixar quem vos ama.

Ó Senhor meu!
Com que delicadeza, polidez e sabor sabeis tratá-los!
Feliz quem tiver se dedicado a amar somente a Vós!
Parece, Senhor, que provais com rigor quem Vos ama,
para que no extremo do sofrimento
possa entender o maior extremo do Vosso amor.

(Santa Teresa de Jesus, in livro da Vida 25:17)

Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência
.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Novena de Santa Teresa (3)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:
Não me move

Não me move, Senhor para Te amar
O Céu que me prometestes
Nem me move o inferno tão temido
Para deixar por isso de Te ofender.
Tu me moves, Senhor,
Move-me ver-Te
Pregado em uma Cruz e escarnecido
Move-me ver teu Corpo tão ferido,
Movem-me tuas afrontas e tua morte.
Move-me enfim o teu amor,
E de tal maneira,
Que ainda que não houvesse Céu eu Te amaria,
E ainda que não houvesse inferno Te temeria.
Nada tens que me dar para que eu Te queira,
Pois mesmo que eu não esperasse o que espero,
O mesmo que Te quero
Eu te quereria.
(Santa Teresa de Jesus)

Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

domingo, 7 de outubro de 2007

Novena de Santa Teresa (2)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:

Oração a Santa Teresa de Jesus

Deixando teus pais, Teresa,
quisestes aos mouros pregar,
trazê-los todos a Cristo,
ou teu sangue derramar.

Pena, porém, mais suave
o Esposo para ti reservou:
tombares de amor ferida,
ao dardo que te enviou.

Acende, pois, nossas almas,
na chama do eterno amor:
jamais vejamos do inferno
o fogo devorador.

Louvamos contigo ao Filho,
que ao trino Deus nos conduz,
ele é o Jesus de Teresa,
Tu Teresa de Jesus!

Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

sábado, 6 de outubro de 2007

Novena de Santa Teresa (1)

De Santa Teresa de Jesus nunca se diz tudo. A Santa Teresa nunca agradeceremos tudo. Com Santa Teresa poderemos caminhar tudo, cantar tudo. No próximo dia 15 celebraremos o seu dia litúrgico. Até lá podes preparar pessoalmente (mesmo diante do computador) a sua festa, rezando a respectiva oração de cada dia:

Nada te perturbe

Nada te perturbe,
Nada te espante,
Tudo passa,
Deus não muda,
A paciência tudo alcança;
Quem a Deus tem
Nada lhe falta:
Só Deus basta.


Eleva o pensamento,
Ao céu sobe,
Nada te perturbe.
A Jesus Cristo segue
Com peito grande
E, venha o que vier,
Nada te espante.
Vês a glória do mundo?
É glória vã;
Nada tem de estável,
Tudo passa.
Aspira às coisas celestes,
Que sempre duram;
Fiel e rico em promessas,
Deus não muda.
Ama-O como merece,
Bondade imensa;
Mas não há amor fino
Sem a paciência.
Confiança e fé viva
Mantenha a alma,
Que quem crê e espera
Tudo alcança.
Do inferno acossado
Muito embora se veja,
Burlará os seus furores
Quem a Deus tem.
Advenham-lhe desamparos,
Cruzes, desgraças;
Sendo Deus o seu tesouro,
Nada lhe falta.
Ide, pois, bens do mundo,
Ide, ditas vãs;
Ainda que tudo se perca,
Só Deus basta.


(Santa Teresa de Jesus)

Antífona: Santa Madre Teresa,
olhai dos céus e vede e contemplai esta vinha do Carmo
que plantastes sobre a terra.

V/ O Senhor lhe abriu a boca na assembleia.
R/ E encheu-a com o espírito de sabedoria e inteligência.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Album de Fotos - XIV HOREB - Fátima - 28-30 Set'07

Olá! Se quiseres podes ver o album de fotos do XIV Horeb - Fátima neste link, http://picasaweb.google.pt/carmojovem/HorebFTima2007. Em cada das fotos é possível deixares um comentário. Gostavamos que deixassem comentários... Saudações carmelitas, JLC

XIV Horeb - Declaração de interesses

Olá Frei João!
Como pediu que o corrigisse caso encontrasse-mos imprecisões na nossa declaração de interesses do XIV HOREB, parece-me que o texto que me foi atribuído não é o que eu escrevi, mas sim o que foi atribuído ao Francisco Martins. Não é que o que me foi atribuído não esteja mal, até porque partilho dos interesses de todos e faço-os como meus, mas o seu a seu dono! Nessa folhinha em que nos apresenta-mos, referi também que me parecia que o XIV seria o melhor HOREB de sempre, apesar deste último ter sido o segundo em que participei, penso que não me enganei. Para mim foi mesmo o melhor HOREB de sempre! Agradeço a Deus, à Irmã Lúcia e a cada um dos HOREB’s por mais um encontro inesquecível onde aprendi como nunca o significado de ser Jovem Leigo Carmelita e cada vez mais tenho vontade de continuar Carminhando lado a lado com todos vós. Não desanimemos, juntos somos mais fortes! Quero fazer um agradecimento especial ao Frei João, à Verónica e a todos os que se esforçaram para que o pessoal de Braga chegasse mais cedo e mais comodamente a casa (eu incluído). A amizade que nos une consegue ultrapassar todas as barreiras sejam elas de que tipo forem. É bom ter-mos pessoas como vós a pegar-nos pela mão e a conduzir-nos pela vida.
MUITO OBRIGADO!
Cumprimentos juvenis e carmelitanos.
Tiago Gonçalves (Braga)

terça-feira, 2 de outubro de 2007

XIV Horeb - Carta da Irmã Celina aos jovens



XIV Horeb - Declaração de interesses

Na passada Sexta-feira, 28 de Setembro, começava o XIV Horeb do Carmo Jovem. Começava fisicamente, porque espiritualmente já tinha começado havia muito. Primeiro abraçamo-nos, depois reunimo-nos para a abertura do Horeb. Aí foi pedido a cada um que fizesse a sua declaração de intenções (ou interesses). Começou e comecei a gostar de ouvir. A determinada altura comecei também a escrever. Aqui vai o que escrevi. (Se alguém encontrar alguma imprecisão, pode sempre corrigir-me. Agradeço que o faça.)
>> Porque gosto da Escola de Maria, pois ajuda-me a encarar a vida doutra maneira, uma maneira melhor. (Joana Filipa) >> Porque a Escola onde andou a Irmã Lúcia é um caminho de fé onde posso aprender a ser uma pessoa melhor. (Ana Lúcia) >> Porque quero dar continuidade à minha carminhada de jovem Carmelita. (Isabel Gonçalves) >> Para me encontrar e aprender um pouco mais. (Tiago Gonçalves) >> Venho porque tenho saudades. (Alexandra Pinto) >> Venho à escola para aprender. (Maria José Rodrigues) >> Vim por que o tema era a Irmã Lúcia e porque tenho saudades. (La Salette Miranda) >> Vim porque quero regressar à origem. (Nuno Óscar Vilela) >> Vim para aprender com a Irmã Lúcia. (Elsa Pinto) >> Vim para aprender. (Teresa Soares) >> Vim porque sou carmelita. Porque gosto dos meus amigos carmelitas, com quem passei dos melhores momentos da minha vida. (Francisco Martins) >> Vim porque acho importante dar continuidade à minha carminhada de jovem carmelita. (Luis Peixoto) >> Vim porque as escolas por onde tenho passado não me ensinaram tudo. (Filipe Madureira) >> Vim porque tinha saudades do Carmo Jovem. (Madalena Brito) >> Porque precisava dum fim de semana diferente. (Fátima Pereira) >> Vim para me enriquecer espiritualmente e porque gosto de novas experiências e porque quero frequentar a Escola de Maria. (Carina Pais Macedo) >> Vim porque quero seguir os passos da Irmã Lúcia. (Cristiane Pais Macedo)

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Ladainha de Santa Teresinha

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus, Pai do Céu, tende piedade de nós.
Deus, Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Santa Maria, Rogai por nós.
Santa Maria, Mãe de Deus,
Santa Maria, Rainha e Formosura do Carmo,
São José,
Santa Teresa de Jesus,
São João da Cruz,
São Rafael Kalinowski,
Santa Teresa Margarida do Coração de Jesus,
Santa Teresa Benedita da Cruz,
Santa Teresa de Jesus dos Andes,
Santa Maravilhas de Jesus

Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face, Rogai por nós.
Santa Teresinha, Estrela luminosa do Carmelo,
Santa Teresinha, Padroeira das Missões,
Santa Teresinha, Doutora da Igreja,
Santa Teresinha, Doutora da Pequena Via,
Santa Teresinha, Filha bem amada do Pai dos céus,
Santa Teresinha, Filigrana do Espírito Santo,
Santa Teresinha, Apaixonada de amor por Jesus,
Santa Teresinha, Perfeição de fé,
Santa Teresinha, Pequena fortaleza de Deus,
Santa Teresinha, Vocação para o amor,
Santa Teresinha, Asceta e mística,
Santa Teresinha, Amor no coração da Igreja,
Santa Teresinha, Confiança obstinada,
Santa Teresinha, Confiança invencível,
Santa Teresinha, Confiança heróica,
Santa Teresinha, Confiança na própria fraqueza,
Santa Teresinha, Desejo de santidade,
Santa Teresinha, Desejo de amor,
Santa Teresinha, Desejo de virtudes,
Santa Teresinha, Desejo de renúncia,
Santa Teresinha, Desejo de rectidão,
Santa Teresinha, Desejo de fidelidade
Santa Teresinha, Desejo de perfeição,

Santa Teresinha, Alma simples,
Rogai por nós.
Santa Teresinha, Alma sublime,
Santa Teresinha, Alma cândida,
Santa Teresinha, Alma missionária,
Santa Teresinha, Alma penitente,
Santa Teresinha, Alma pequenina,

Santa Teresinha, Alma paciente, Rogai por nós.
Santa Teresinha, Alma humilde,
Santa Teresinha, Alma pacífica,
Santa Teresinha, Alma suave,
Santa Teresinha, Alma que escolheu tudo,
Santa Teresinha, Alma dos pequenos sacrifícios,
Santa Teresinha, Alma doce na noite da provação,

Santa Teresinha, Apóstola da Misericórdia,
Rogai por nós.
Santa Teresinha, Apóstola da Confiança e do Abandono,
Santa Teresinha, Apóstola da Simplicidade de Coração,
Santa Teresinha, Anjo dos Enfermos e Prisioneiros,
Santa Teresinha, Pequena irmã dos pobres em espírito,
Santa Teresinha, Irmão dos pecadores,
Santa Teresinha, Irmã Universal,

Cordeiro de Deus,
que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus,
que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus,
que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.

— Rogai por nós, Santa Teresa do Menino Jesus da Santa Face,
— para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amen.

Oremos
Ó Deus Todo-poderoso e cheio de misericórdia, que sois glorificado nos vossos santos e santas, ouvi-nos por intercessão de Santa Teresinha do Menino Jesus, que nos ensinou o Pequeno Caminho da confiança e do abandono em vossa Misericórdia. Por Cristo Nosso Senhor. Amen.

Fotos - XIV HOREB - Fátima - 28-30 Set'07

























Irmã Lúcia, jovem Carmelita!


Terminou o XIV Horeb? Não. O Horeb continua.
O Horeb do Carmo Jovem continua
até que nos voltemos a encontrar novamente em Horeb.
O Horeb continua hoje nas carteiras das nossas salas de aula,
nas secretárias dos nossos gabinetes de trabalho,
nos nossos conventos, nas nossas casas,
nos transportes públicos e nas esplanadas.
Foi bom este Horeb.

Foi bom ver os que passaram,
os que passam e passarão pelo Carmo Jovem.
Sim, nós já vemos os que hão-de vir
e com alegria sentimos a responsabilidade
de lhes entregarmos a pequena gotinha de amor
que queremos ser no coração da Igreja, nossa mãe.

Neste fim de semana que passou fomos à Escola,
em Fátima, na Domus Carmeli, tão ligada à Irmã Lúcia.
Foi bom ir à Escola levados pela Irmã Lúcia.
Como nos bons velhos tempos da Grécia Antiga
ela foi o nosso pedagogo que nos assinalou o caminho
para Cristo e para o Pai.

No fim do encontro visitámos o Memorial da Irmã Lúcia, em Coimbra.
Fica mesmo ao lado do Carmelo de Santa Teresa.
A gentileza das nossas Irmãs Carmelitas recebeu-nos com ternura:
— Numa pequena estante da recepção do Memorial
estava um fotografia da Irmã Lúcia.
Seria uma foto como as outras se não fosse diferente.
E era diferente porque a Irmã Lúcia
apareceu-nos com o lenço do Carmo Jovem e o pin do nosso Movimento.
(Obrigado, Irmãs por esta delicadeza! Por este acolhimento!)

Ela era jovem. E ficou mais jovem quanto mais madura ficou.
Foi o que nos disseram. Foi o que nos prometeram. Foi o que confiamos.
Por isso, não nos espantou que nos tenha aparecido carmenjovem!
Não nos espantou, e agradecemos.
Foi bonito. Foi ternura que tocou fundo o nosso coração.

No Horeb estamos sempre todos,
mesmo que nem todos ali possamos estar!
Frequentemente acontece que, à última hora, alguém não pode vir.
(E aconteceu mais uma vez.)
Algumas vezes acontece que alguns, à última hora,
não podem participar.
(São urgências da vida!)
Mas acabam participando pela memória que fazemos deles,
pela amizade com que depois os abraçamos,
pelo que por eles rezamos, pelo que depois lhes contamos,
pelo que em nós vai ficando mais Carmelita.
(E depois, mais eles através de nós.)

Foi por que muitos não puderam fazer o XIV Horeb connosco,
que eu trouxe para casa a fotografia da Irmã Lúcia, jovem Carmelita,
(não se reconhece bem o nosso pin,
mas vê-se bem o lenço aos ombros e outro no braço direito).
Trouxe-a para a partilhar com todos os carmenjovens.
Trouxe-a para que todos nos deixemos levar por ela para a Escola.
Trouxe-a para partilharmos da sua juventude.
Trouxe-a para partilharmos da sua santidade.
Trouxe-a, por fim, para que nos consolemos e animemos:
um pedacinho de nós, do Carmo Jovem, já está no Céu!

Muito obrigado, Irmã Lúcia.
Muito obrigado a todos os jovens carmelitas!

Coragem! Ânimo!
Caminhemos sem medo os caminhos do mundo!
Ide pelo mundo com o Carmo no coração!

Até ao próximo Horeb!

A eterna sede do Amor!


"Compreendi que a Igreja tinha um corpo, composto de diferentes membros, não lhe faltava o membro mais nobre e mais necessário. Compreendi que a Igreja tinha um coração, e que este coração ardia de amor. Compreendi que só o amor fazia os membros da Igreja agirem, que se o amor viesse a se apagar, os Apóstolos não anunciariam mais o Evangelho, os Mártires se recusariam a derramar seu sangue..."


1 de Outubro - Santa Teresinha do Menino Jesus … a Ordem carmelita está em Festa.

Santa Teresinha queria ser missionária. Era um desejo profundo que mantinha no mais profundo do seu coração. Queria salvar almas. Queria ser apóstolo, queria pregar o Evangelho, em todo o lado ao mesmo tempo e não apenas por algum tempo, mas desde a criação do mundo até ao fim dos tempos.
Sabia que esses desejos ardentes missionários vinham de Deus e sabe que, se são de Deus, são verdadeiros e que se realizarão plenamente. Não sabe como, mas está convencida de que se cumprirão. Embora em toda a sua vida não tenha pisado nenhuma terra de missão nem tenha pregado o Evangelho.
Os desejos de Santa Teresinha cumpriram-se em toda a sua plenitude: Santa Teresinha, por decisão pontifícia, é a Padroeira universal de todas as missões do mundo e de todos os missionários e missionárias da Igreja Católica.
Santa Teresinha sente-se unida aos sacerdotes e escreve-lhes: «Sentir-me-ei verdadeiramente feliz por trabalhar convosco na salvação das almas; foi com essa finalidade que me fiz Carmelita; não podendo ser missionária pela acção, quis sê-lo pelo amor e pela penitência como Santa Teresa.»

Que nós Jovens leigos Carmelitas, pautemos a nossa vida pelos ensinamentos, desta mestra. Que descubramos o modo pelo qual também nós queremos chegar a Deus. Que a «pequena via», feita de transparência, humildade, verdade, simplicidade nos enraíze ainda mais nas profundezas da eterna sede do Amor! À semelhança de Santa Teresinha, sejamos motor que faz andar esta força da vocação do Amor!

S. Teresinha

Podes visitar neste link http://carmelitas.pt/teresinha/, o Site Oficial da visita das Relíquias da Santa Teresinha do Menino Jesus a Portugal em 2005. JLC